Em estações mais frias, como o inverno, a incidência de doenças respiratórias chega a aumentar até 40%. O próprio frio contribui para desencadear quadros alérgicos como: nariz escorrendo, lacrimação nos olhos, espirros e tosses.

Existem dois tipos de mecanismos de transmissão de doenças, por contato e através da contaminação pelo ar. No primeiro tipo, gotículas pesadas de bactérias não se aerosolizam, ou seja, não “flutuam” no ar: são partículas que não vão muito longe, cerca de um metro apenas, restringindo-se a superfícies. São os vírus respiratórios altos, como os rinovírus, que causam os famosos resfriados e rinites, e alguns outros vírus que não chegam a acometer de forma sistêmica o organismo. A transmissão ocorre pelo contato de pessoas e essas superfícies.

Já a contaminação pelo ar é mais perigosa e generalizada, pois além de vírus, há também a presença de bactérias. Ao flutuarem pelo ambiente, essas partículas potencializam a transmissão de, por exemplo, três doenças perigosas: a varicela (catapora), o sarampo e a tuberculose – doenças que não são próprias apenas do inverno, são endêmicas, ou seja, ocorrem constantemente, independente da estação do ano.

Conversamos com o Prof. Dr. Fernando Góngora Rubio, médico infectologista da Famerp (Faculdade de Medicina de Rio Preto), sobre a importância e os cuidados a serem tomados com a saúde durante os meses do inverno. Confira!

1. Por que no inverno as pessoas ficam mais doentes?

O número de doenças no inverno aumenta por diversos motivos. Primeiramente, devido ao tempo: a mudança da temperatura faz com que exista uma incidência maior de problemas que acometem as vias respiratórias altas e baixas. Outro evento pode ser o aglomerado de pessoas em ambientes fechados que potencializa essa transmissão.

2. Quais as diferenças entre gripe e resfriado?

O resfriado apresenta sintomas respiratórios nas partes altas do corpo: corizas, corrimento nasal, tosse alta. Geralmente, não há febre nem sintomas em que o paciente fique abatido. Muita gente chama o resfriado de gripe, mas não é, pois a gripe é basicamente o que chamamos de influenza. Na medida em que o paciente é idoso, gestante ou criança, tem maior suscetibilidade para quadros graves quando se trata de gripe.  Existem algumas pandemias, como a de H1N1 e de alguns outros vírus, que causam uma disseminação no sangue, febre muito alta e abrupta, além de queda no estado geral na qual o paciente passa mal, gerando também um acometimento respiratório – são as síndromes respiratórias agudas graves.

3. Ao sentir os sintomas, quando devo me preocupar?

A preocupação de um resfriado que pode piorar é quando o paciente apresenta perda de apetite e quando há falta de ar ou febre. Esses três sintomas devem alertar o paciente a procurar ajuda de um médico, pois é um indício de que alguma coisa está piorando.

4. Como reduzir as chances de contágio no ambiente de trabalho?

Todos devem tomar vacina, seja quando criança ou já na idade adulta, principalmente pacientes nas categorias de risco – crianças, idosos, gestantes, pessoas com diabetes, etc. Muitos não tomam a vacina por medo de efeitos secundários, o que não ocorre, pois o vírus é inativado. Existe a possibilidade de ocorrer uma reação adversa aos componentes da vacina que causa mal-estar similar ao da gripe, apenas isso.

5. Qual a importância do colaborador estar em dia com a saúde e por que as empresas precisam estimular isso?

Em muitos ambientes de trabalho algumas empresas colocam álcool em gel para uso dos funcionários. Esse álcool deve ser amplamente utilizado em situações em que possa haver a transmissão de microrganismos e deve estar disponível em diversos locais da empresa (não apenas no banheiro, como muitas fazem), para que a higienização seja feita de forma mais frequente. Como o álcool em gel não tem efeito duradouro deve ser utilizado sempre ao tocar em superfícies.

Agora que sabemos mais sobre doenças que podem surgir no inverno, separamos essas dicas para você se prevenir e manter sua saúde em dia:

Vacine-se: mantenha sempre sua carteira de vacinação em dia! Através dela você pode se organizar sobre sua imunização e evitar contrair doenças.

Lave bem as mãos: Antes se alimentar, higienizar o corpo, realizar necessidades fisiológicas ou qualquer coisa que envolve algum tipo de contato deve-se lavar as mãos com água e sabão.

Evite locais aglomerados: lembre-se que o inverno já aumenta a disseminação de doenças, em locais com muita gente essa disseminação pode aumentar ainda mais!

Mantenha a limpeza em dia: locais limpos evitam o acúmulo de ácaros e bactérias, ajudando na qualidade do ar e tornando mais difícil que doenças se proliferem. A Dona Resolve pode te ajudar nisso, nossos serviços vão facilitar sua vida de um modo prático como você nunca viu antes. Quer saber mais? Acesse: www.donaresolve.com.br

 

 


Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (0) in /home/blogdonaresolve/public_html/wp-includes/functions.php on line 3743